sexta-feira, 24 de maio de 2013

Eu amo este cantinho aqui!!!!

Oi minhas lindas, como vc´s estão?
Eu posso dizer que hoje estou ótima, com uma cólica super legal, mas graças a Deus ela está aqui.

E sabe porque eu amo este cantinho aqui?
Porque basta eu colocar uma coisinha sobre o meu desespero e já chove comentários para me acalmar, e mesmo quem não é mãe ou ainda não passou por isto me acalmou... meninas como a Eliane falou, comigo aconteceu igualzinho, nos dois primeiros dias eu estava tendo a monstra invisível, é eu sabia que ela estava ali, mas nada de vê-la...rsss, porém hoje ela veio toda lindona... e isto me deixou muito feliz, apesar do puxão de orelha do marido que disse que eu cismo com tudo... rsss, e mandou eu parar de ficar fuçando coisas na net, porque eu só fico mais ansiosa...rsss.

Então eu queria  e muito agradecer à vocês pelos comentários e pelo carinho...

Adoro demais poder contar com cada uma.


Gente agora o recadinho vai para as amigas professoras, ou para quem souber me ajudar... rsss, ah obrigada pelas atividades e sites já estou usando tudo o que apareceu...rsss.
Meninas tenho um aluno, que no início do ano não falava nada, vivia com uma cara de assustado, que meu Deus... ai ele foi incluído no apoio e eu e a outra professora (matemática) estamos trabalhando muito com ele, e ele já está se comunicando, já responde a chamada! (pensa o meu desespero, comemorar porque um aluno consegue responder a chamada, é porque a coisa é grave mesmo), já conversa comigo e com a outra professora e com mais dois professores, mas só se puxar atenção só para ele. Tá que ele não reconhecia o nome, as letras, nada, nem o nome dele sozinho ele faz, e o meu desespero só aumenta, porque ele é copista, mas não sabia diferenciar o E do P, só um exemplo, mas ele sabia que eram letras e quando eu perguntava a letra, ele me respondia algo, agora ele está confundindo letras com números... Meu Deus!!! é o A virou 10, 2, 5 menos A. Ai vocês me perguntam, Su mas qual o problema dele, e eu vos respondo: - Não sei!  A mãe foi chamada desde o início do ano, e nada de aparecer... e ontem depois de eu falar com a coordenadora que eu e a professora de matemática decidimos que ele por um tempo só verá números e depois letras, para ver se ele começa a diferenciar, eis que conseguimos consultar o histórico dele na secretária, ele estudou a Ed. Infantil em escola para excepcional, e os primeiros anos em escolas com recursos para alunos com algum tipo de necessidade especial. Então a minha coordenadora ligou em uma dessas escolas e a coordenadora de lá disse que o problema é o seguinte: "ele foi incluído como deficiente intelectual (porém não tem laudo) a mãe não aceita que ele não é "normal", pois ela tem outro filho que tem deficiência mais gritante, então o pai dos meninos a culpa por ter dois filhos com problemas, tanto que falamos com ele ontem e ele disse que qualquer assunto sobre o filho é a mãe que resolve. Então como esta mãe sente-se culpada por ter dois filhos com "problemas" ela simplesmente trata como se o meu aluno fosse normal, não tem problema nenhum, ele só não sabe ler e escrever (na 6ª série), mas não aparece de jeito nenhum, então depois de muita conversa ela disse que iria hoje lá, conversar conosco.

Ai depois deste assunto todo eu pergunto à vocês, como posso trabalhar com um aluno assim? Alguma dica das alfabetizadoras, ou de alguém que conheça alguém com este problema? Entramos em um acordo que ele precisa aprender para a vida a matemática, tá eu sei que português é super importante, mas para a vida ele precisará saber contar, mexer com dinheiro, pegar ônibus pelo número também dá, então num primeiro momento iremos ajudá-lo para a vida. O que acham?

E o problema mais gritante que eu encontrei, como será a vida de uma mulher que tem dois filhos com dificuldades, o marido a acusa de culpa, então ela simplesmente para de tratar de um com dificuldades por não aceitar que teve dois filhos com dificuldades... gente em nenhum momento estou defendendo esta atitude não, acredito que ela precisa de ajuda também, pois já vi um caso na tv da mãe ter 3 filhos com deficiência degenerativa, parecido com paralisia, e ela cuida dos 3 com muito carinho, até tem um trenzinho de cadeiras de rodas, será que não é mais fácil aceitar o problema? Do que fingir que ele não existe?

Chega de falar, se ela vier hoje eu falo o que aconteceu tá?

Beijos e muito  obrigada!!!!


5 comentários:

  1. Su menina fico impressionada com os casos que vc enfrenta, e peço a Deus que te de sempre muita sabedoria e discernimento para fazer o certo, infelizmente não sou a pessoa certa para te ajudar, trabalho com crianças na minha igreja, mas não possui nenhum curso especifico.
    Quanto ao pai desse menino, imagino ser necessário realmente uma reunião com ele para expor as dificuldades do seu filho.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Su... minha mãe é pedagoga, e sempre lembro dela dizer que se a família está tendo problemas, dependendo do caso, pode ser acionado o Conselho Tutelar... se o pai das crianças está fazendo algum mal a elas por elas terem necessidades especiais, talvez seja o caso.

    Sobre a dificuldade do seu aluno... olha... não sou médica... mas será que não é autismo? Quando você falou que ele confunde letras e números, logo pensei em dislexia, mas se ele também tem dificuldades de socialização, acho que seria mais um caso de autismo. Era preciso uma avaliação dele para saber até como vocês podem trabalhar com ele.

    beijinhos... e boa sorte!

    ResponderExcluir
  3. ahahah seu marido falou igual o meu: Para de fuçar na internet kkk....Sobre o menino nem sei o que falar...é dificl trabalhar assim né...e no meu caso eu sou muito emotiva,me envolvo com a criança (isso qd eu dava catequese) e me magoaria muito ver a criança desse jeito,ver que a mãe ainda não foi conversar conosco...sei lá amiga,espero que consiga direcionar este assunto da melhor forma possível tanto pra vc como para seu aluno. Bjinhos com asas de dois.

    ResponderExcluir
  4. Ai Su...que bom que este cantinho te ajuda...e que continue ajudando,pode conter com a gente viu

    E que situaçao dificil com este aluno hein...pois qdo a familia aceita... a criança pode ser ajudada...mas desta forma que vc contou fica dificl tanto pro aluno qto pra vcs ne
    bjos

    ResponderExcluir
  5. Nossa, Su... que caso difícil... eu também sou professora, mas dou aulas para adolescentes. Na sua escola não tem sala de recursos? Acho que nesse caso acionar o conselho tutelar é uma boa opção. Beijos

    ResponderExcluir

Deixem o seu comentário, vou adorar ler o que tem para me dizer... Ah e volte sempre!!! A sua visita me deixa muito feliz