domingo, 25 de maio de 2014

receita de coxinha de frango

Meninas, como estão?

Desde ontem estou começando a colocar as visitas em dia, então se eu não aparecer me cobra tá?

Ontem a Jéssica dos blogs Trajetória de uma noiva e Existe Vida sem Glúten postou a receita de coxinha sem glúten, ai meu marido viu e perguntou se eu ia fazer coxinha, peguei e me arrisquei e fiz, mas fiz uma receita que peguei na net com farinha normal. Ficou uma delícia, e como eu nunca tinha feito e consegui vou compartilhar aqui. Quem fizer me avisa tá?

Coxinha de frango 
Massa:
2 xícaras de água (usei a que cozinhei o peito de frango)
2 colheres (sopa) de manteiga ou margarina
2 Xícaras de farinha de trigo
Sal a gosto

Recheio: (vou colocar como eu fiz)
1 colher (sopa) de margarina
1 peito de frango cozido e desfiado
meia cebola picada
azeitonas picadas
sal a gosto

Modo de Preparo:

Massa:
Esquente  água com a manteiga e o sal. Assim que ferver, coloque a farinha de uma só vez e mexa bem, até ficar uma bola de massa homogênea e desgrudar do fundo da panela (a massa fica bem pesada)
Depois coloque a massa numa superfície lisa e untada e deixe esfriar.

Recheio
Cozinhe o peito de frango (eu coloquei um sazon junto)

Refogue a cebola na manteiga, coloque o frango desfiado, as azeitonas, mexa bem. (se quiser pode colocar mais temperos)

Pegue porçoes de massa, já morna, modele uma bolinha, abra na palma da mão, coloque o recheio no meio e vá juntando as pontas para fechar, não deixe buracos.

Depois passe em ovo e farinha de rosca. Frite em bastante óleo quente e escorra no papel absorvente.

Esta receita rende em média umas 15 coxinhas.

Beijos, espero que tenham gostado

Ps: Este blogger é louco eu fui publicar dois comentários da Ely e da Gessica e ele excluiu, ainda bem que recebo no meu e-mail e postei os comentários... 

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Eita quanta poeira por aqui...

Oi minhas lindas, ops será que ainda aparece alguém por aqui??

Bom meninas to sumida, porque o início deste mês não foi nada fácil para mim, a Cacáh nasceria no dia 11 isto mesmo no dia das mães, então por incrível que pareça a ficha só caiu agora de que ela não nasceria... ou nasceu sei lá, daqui a pouco eu explico...rsss

Bom achei que me afastaria mais do face, mas até que foi só por uns momentos, muitos bebês nasceram entre a última semana de abril e as primeiras de maio, foi difícil, ao mesmo tempo que curto a felicidade das amigas, sinto que também poderia estar entre elas, e por mais que não queira isto me machuca... sei que as meninas entendem, entendem eu não comentar nas fotos dos seus presentes, pois dói. Sei (ops! espero) que nenhuma pensa que estou com inveja delas, só estou guardando o meu coração.

Bom desde que maio começou, fiquei bem abalada, se ficava sozinha começava a chorar, e para completar ainda a escola fez os alunos fazerem homenagem para o dia das mães, ainda bem que tenho alunos maravilhosos, e mesmo sendo Ensino Médio eles são super carinhosos comigo, expliquei a eles que se eu saísse no meio de alguma apresentação era porque estava muito difícil, na primeira apresentação do dia (de manhã) eu chorei horrores, na segunda ( a tarde) eu estava mais envolvida, pois minhas salas estariam apresentando, e consegui me manter quase firme, ai no final de todas as apresentações, uma das alunas mais "briguentas" pegou e fez uma homenagem para mim, me agradecendo pelos conselhos, pelo carinho, dizendo que sou a como uma segunda mãe, não só para ela como para todos os meus alunos, ai vieram todos me abraçar, ai sem chance né? Nem se eu tivesse firme...rsss

No dia das mães mesmo, eu fiquei sozinha, meu marido pediu para trocar a folga dele, mas não conseguiu, acordei, e vi que estava mais forte que nos outros dias, fui lavar roupa, depois fui almoçar com a minha mãe, depois meu marido chegou e me falou que deixou a chefe sem graça porque ela perguntou como eu estava e ele disse, tá em casa, sozinha e chorando, pois nossa bebê nasceria hoje e vc não deixou eu ficar com ela (sinceramente quando ele me falou que pediu para folgar no dia 11 achei que era por causa da mãe dele, e não, ele queria era ficar comigo). 

Bom eu comentei que talvez minha bebê tenha nascido né? 
Não gosto de falar de religião, e muito menos tenho uma, ou discuto sobre isto, mas eu tenho uma fé além de mim, uma fé que não acredita em um Deus injusto que tirou os meus filhos, porque não era a hora deles, acho que se não era a hora, Deus não teria os enviado, acredito sim, que DEUS me livrou de algo pior, que meus anjinhos precisavam do meu amor, vieram, recarregaram a bateria, e voltaram para o céu, mas um dia DEUS irá me devolvê-los, portanto, eu acho sim, que um dia eu terei a minha Catherine aqui comigo, e não me critiquem ou crucifiquem, quando eu tiver uma menina, ela terá este nome, quantas vezes ela precisar vir e voltar, será sempre a minha Catherine, falo que ela pode ter nascido, porque agora me sinto mais leve, mais forte, mais confiante. Então porque não acreditar que minha filha está bem, esta preparada para voltar?

No dia das mães escrevi este texto para deixar registrado o que estava sentindo...

"Hoje eu estaria vivendo o dia mais feliz da minha vida, passando meu primeiro dia das mães com a minha princesa em meus braços, família reunida, babando na minha cria, mas quis Deus que este momento fosse adiado, algum motivo existiu para isto, mas nada conseguiu afetar a minha fé a a minha esperança, sei que este sonho pode ser adiado, por uma, duas, dez vezes, mas um dia eu poderei dizer "obrigada por este presente".
Hoje minha Catherine não nasceu, hoje não a tenho em meus braços, não escuto o seu choro, nem posso olhar para o seu rostinho gordinho, tenho apenas a lembrança daquela mãozinha gorda, em todos os ultrassons que fizemos ela sempre me mostrou sua mãozinha linda, primeiro com ela no rosto, depois mexendo, como se quisesse me dizer, olha não desiste de mim. To aqui.
E eu não desisti de você filha, do mesmo jeito que sonho em ser mãe, também quero te dar a oportunidade de viver neste mundo aqui, hoje o céu está em festa, você está se preparando para voltar para os meus braços, vc e o seu irmãozinho disputando quem vem primeiro, quem será o herdeiro "Andrade Ribeiro de Barros", quero que vc´s saibam que todos aqui estamos ansiosos, e confiantes, que vocês logo estaram conosco meus anjinhos.
Hoje sou uma mãe forte, uma mãe que entregou seus filhos para DEUS, uma mãe que não perdeu a fé, que sabe que tivemos apenas uma pausa, apenas adiamos nosso encontro, uma mãe que hoje pensou que estaria de cama, chorando o dia todo, mas desde que o dia amanheceu, eu senti que hoje é o meu recomeço, CATHERINE não nasceu, mas eu renasci, com uma garra maior do que tudo acreditando que em breve, estaremos juntos, mamãe, papai e vocês.

Filhos não desistam da mamãe, fui forte ao entregá-los para Papai do Céu, pois ele ainda precisava de vocês ai, mas tenho certeza que os receberei de volta, lindos, saudáveis e poderemos viver muitas coisas juntinhos, hoje é o dia das mães aqui, e eu quero dizer que hoje é o dia de vocês meus anjinhos lindos, que acordaram ao meu lado, e estão deixando a mamãe forte e confiante. Obrigada!!!!"

Estou tentando voltar no GO, mas como passarei por encaixe, não consegui ir na semana passada, pois ele não estaria no consultório, a tarde ligarei para ele, e depois venho contar os próximos passos.

Beijos